terça-feira, 7 de setembro de 2010

Capitulo 2 – Parte 7

- Seu vestido é bonito.

- Eu sei.

Mas Vanessa não pôde resistir à tentação de passar a mão pela manga do vestido da prima.

- É de veludo - declarou Duja Ashley, com ar de importância.

O fato de o tecido grosso ser insuportavelmente quente não era nada em comparação com a imagem que ela via no espelho.

- Meu pai comprou para mim em Paris. - Ela deu uma volta completa; era uma menina esguia, loira, com o rosto fino e olhos grandes. - Ele prometeu que vai me levar na próxima viagem.    
      
 - É mesmo – Vanessa tratou de reprimir a inveja que a dominou. Não era segredo para ninguém que Duja Ashley era a predileta do pai, o irmão do rei. - Minha mãe já esteve lá.
Porque tinha um coração generoso e sentia-se feliz com o vestido de veludo, Duja Ashley afagou os cabelos de Vanessa.

- Você também irá um dia. Talvez possamos viajar juntas quando crescermos.

Vanessa sentiu um puxão na saia. Baixou os olhos e viu o meio-irmão. Fahid. Pegou-o no colo, para beijar todo seu rosto, o que fazia cair na gargalhada.

- Você é o menino mais bonito de Jaquir!

Ele era pesado, embora fosse dois anos mais moço. Vanessa teve de fazer força para agüentar o peso. Cambaleou um pouco, enquanto levava até a mesa, para pegar um doce.
Outros meninos também eram beijados e acariciados. Meninas da idade de Vanessa e até menores sempre mimavam os meninos. Desde o nascimento, as mulheres eram ensinadas que deveriam devotar todo tempo e energia para agradar os homens. Vanessa sabia apenas que adorava o irmão menor, e queria sempre fazê-lo sorrir.

O que Gina não podia suportar. Ficou observando enquanto Vanessa servia o filho da mulher que tomara seu lugar na cama e no coração do marido. Que diferença fazia se a lei ali dizia que um homem podia ter quatro esposas? Não era sua lei, não era seu mundo. Vivia em Jaquir há seis anos, e poderia continuar a viver por mais de 60, mas nunca seria seu mundo. Detestava os cheiros ali, densos, enjoativos, que tinham de ser tolerados, enquanto um dia apático sucedia outro. Gina passou a mão pela têmpora, onde uma dor começava a fazê-la latejar. O incenso, as flores, as camadas de perfume sobre perfume.
Ela detestava o calor, o calor sufocante e implacável.

---
Woooooow não demorei dessa vez a postar, Milagreeeeeee!
HUSAUHUHSASA, bom mesmo q vcs se contentem com a vidinha da Mini Vanessa HASUHAUHAS ;DD

beijos ;*

2 comentários:

Tiz disse...

PRIMEIRAAAAAAAAAAA.
UHULL.
Amiga que lindooo, esta perfeitoo!
O capitulo ta incrivel, a fic toda .. :o
Posta logo, dessa vez como você mesma disse até que foi rapido hehe
mas não demore.
poooosta!
beijos de alegrim com mandioca ;*

Tainá disse...

Amiga que capitulo lindo , amei
a fic ta maravilhosa , estou adorando
pliis posta logo , eu fico entrando direto no Blog para ver se você ja postou , sabe como é neah sou muito ansiosa kk'
bgs